segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Isso foge de minhas possiblidades como ser humano errante que sou...

Déjà Vu? Coincidência? Destino?

Penso, logo acontece, exatamente da forma como mentalizei... (?)

Confesso que não sei explicar, só sei que não é nada disso...

Acredito que temos vários caminhos em nossas Vidas. Existem os certos e os errados. Se seguimos o certo, com certeza teremos mais chances de conseguirmos aquilo que queremos. Basta fazermos tudo da forma certa. Se não, se seguimos o errado, temos que pagar por ter seguido tal caminho e se fizermos corretamente as pendências deste caminho, podemos ter uma chance de conseguirmos aquilo que queremos.
Sim, segui o caminho errado e agora pago as suas consequências. Como dizem no senso comum, o silêncio é o pior castigo. Eu sei exatamente o que é isso, mas sem fazer a mínima idéia do porque deste silêncio. Espero um dia saber e pedir perdão pelo meu ser tão, mais tão errante. Até então, permaneço em meu imenso "blurry oblivion".



...



7 comentários:

Zé alberto disse...

OLÁ,

Li o seu texto nos comentarios do Cine Freud e percebi que você é, tal como eu, apaixonada por psicanálise. Decidi escrever-lhe pois colaboro no "Cenas Gagas", onde tenho postado alguns textos sobre cinema, visto da perspectiva psicanalítica. Gostava que desse uma visita por lá e me deixasse algum comentário sobre alguns aspectos dos meus textos (entre eles um estudo que tou a desenvolver sobre o Cinema Noir) que gostasse de comentar.

Cumpts,

Zé alberto

.: Évelyn Smith .: disse...

Obrigada por comentar, Zé Alberto! Tenho um amigo com o apelido de Zeh que sempre comenta algo por aqui, pensei que fosse ele brincando comigo, mas não é. Bom, coloquei no Google e encotrei o seu blog. Vou entrar, ler e comentar!
=)

Renato Hemesath disse...

Oi querida, estou ótimo e você?

Ah, infelizmente não tenho conseguido atualizar o blog com frequência inferior à duas semanas :/ e nessas semanas também tenho escrito as próximas resenhas, então o tempo super voa.

Ah quantos artigos excelentes!
Eu acho o estilo de escrita do Freud sensacional, por mais que ele, muitas vezes, percorra e super contorne um assunto, acho que seus textos decorrem de modo tão envolvente =D

Dos textos que você comentou, li "Cinco Lições de Psicanálise", "O Futuro de uma Ilusão" e "O Mal-Estar na Civilização". São bárbaros, principalmente estes dois últimos. Engraçado que ontem mesmo conversava sobre eles com uma amiga!

E estudei sobre Rogers no primeiro ano, depois confesso que não me interessei em procurar outras bibliografias. Não me instiga muito, mas tenho uma amiga que super se identifica e reconheço que ele aborda temas interessantíssimos. Tu já viu um vídeo em que ele filmou um atendimento? nunca me esqueço, haha.

Ótimo final de semana para ti.
Beijos

Zé alberto disse...

Ola Évelyn,

gosto bastante da impressão que me dá a leitura deste seu post, faz-me lembrar uma nuvem, é muito agradável!

Queria agradecer sua visita ao meu Blog (Cenas Gagas), e por se ter registado. Faço votos para que os meus posts continuem a despertar seu interesse.

Cumpts.

Zé alberto disse...

Olá Évelyn,

Fiquei mto feliz pelos comentarios que você e o Renato fizeram ao meu post sobre o Henry Miller.
Entretanto já postei no Cenas Gagas uma espécie de carta em resposta à vossa curiosidade sobre esse autor.
Ele é importante, eu acho, por vários aspectos, um deles é para mim, a forma maravilhosa, poética e imaginativa como ele elabora um autêntico hino à MULHER, quando fala de June.
O primeiro livro em que ele o faz é o Trópico de Capricórnio, altura em que ele relata o momento em que viu June pela primeira vez. É um delírio, um fogo de artifício poético.
É, para mim, um autor que ficou marginalizado pelo carimbo de "erótico" mas merece um estudo bem mais aprofundado.

Aguardo então sua visita ao Cenas Gagas, onde poderá ler esse meu post que escrevi em resposta à Évelyn e ao Renato.

Cumpts!

zeh disse...

outro ze no seu blog... os zes irao dominar o mundo... e apelido nao... é meu nome... hehe... e deja vu nao existe se vc quer saber... hehe... eu pelo menos nao acredito... é impressao de algum fato ou vontade q aconteça aquilo q vc planeja na sua mente... voliçao e nada mais... uh... to me superando nao achas... ;) bjoks...

Renato Hemesath disse...

Ah sim.. algo me dizia que eu já tinha lido este teu post, hehe. Como vai tudo?

Pelo visto, ambos estamos há um tempinho sem atualizar. Coisas da vida cotidiana e do mal-estar de vivermos nela. haha

Então querida, eu vi o vídeo do Rogers em uma aula de "Bases Epistemiológicas", foi no 1º ano, faz um tempinho já. Inclusive, achei tão hilário pois no início fica um olhando para a cara do outro que parece que o vídeo está em pause, mas não... é apenas a ausência de fala e de expressão do terapeuta e do paciente. haha

Tentei encontrá-lo pesquisando via Google, mas não achei. Vou ver se localizo o nome do dvd em si e te digo se encontrar! :D

Mas enfim, vale muito a pena ver, até por ser algo tão inédito né, e nonsense também.

Beijos,

E parabéns por ontem atrasado!