segunda-feira, 2 de julho de 2012

Tempo


Foto: Belo Horizonte-MG, a vista que eu tinha do apartamento onde eu morava lá...


As andanças dessa Vida nos levam a pensar e (re)pensar em diversos aspectos. Para mim, o tempo é algo presente... Digo "para mim", pois sei que uns e outros têm em mente que o tempo é aquilo que já se foi ou aquilo que mede as horas. Eu acredito que o tempo é o aqui-agora. É algo que não existe passado e nem futuro, e nem o próprio presente. É uma instância que está em nós, em nossas atitudes que nos levam a exercer a nossa própria existência em na realidade vital. O tempo, assim como a realidade, se diversifica. As dimensões da realidade cabem o tempo em cada uma delas... Os caminhos que traçamos têm a sua realidade em seu tempo.

A foto acima determina, por exemplo, a realidade. Sim, é a realidade de quem vive em Belo Horizonte atualmente e eu, infelizmente, já não moro mais lá e nem muito menos não tenho mais o privilégio de acordar de manhã, abrir a janela e dar de cara com uma vista tão magnífica como é retratada na foto. A minha realidade é acordar de manhã e dar de cara com prédios e ruas planas. E sem contar os ratos que adoram tomar a fresca da manhã no meio da quadra. Portanto, quem vive em BH tem o seu tempo determinado por aquela realidade, pela cultura religiosa da capital mineira, por exemplo.

Porém, eu já desfrutei de uma realidade dentro de um tempo nesta cidade. Mesmo assim isto não é passado... Nada passa! Tudo tem sua função numa dimensão que só Deus sabe como funciona e talvez os matemáticos e físicos entendam um pouco melhor do que nós, meros leigos.

Eu penso da seguinte forma: aquela sensação de que tínhamos que ter vivido algo em certa circunstância, e mesmo não termos vivido isto, temos saudades daquilo... Entendo assim como dimensão. São diversas dimensões espalhadas por todo um universo cósmico, cheios de realidades e tempos, os quais estamos vivendo por lá. Porém não nos cabe adentrar no que não nos pertence, ou aquilo que deixamos, ou aquilo que não fomos capazes de viver por diversos motivos. Não temos culpa... Simplesmente foram os caminhos vitais que nos trouxeram até aqui, as influências de uns e outros em nossas Vidas de forma recíproca. 

E assim cabe a nós vivermos a realidade em seu tempo, sem passado, presente ou futuro. É simplesmente o tempo e nada mais.


#-#-# (In) Blurry Oblivion #-#-#


O texto que escrevi acima ainda não está embaçado, porém esquecido em nosso psíquico. O quanto seria mais prático vivermos o que temos neste instante ao invés de nos maltratarmos pelos feitos do passado... O aqui-agora é o que mais importa a qualquer um de nós. Mas, como diria a frase, "somos o que fizemos". Claro, a nossa constituição atual depende de tudo aquilo que fomos um dia, pois sim, no passado.

E eu me pergunto... Existe um portal que retonarmos ao nosso passado para "concertar" algo que talvez fizemos de forma "errada"? E se disserem a você que foi tudo feito da forma certa, e se fosse ao contrário sim seria a forma errada? E para quê viver com a culpa se temos o tempo como dádiva em recompessa pelas lástimas inatas que carregamos pelo fato de sermos humanos?

Ainda há tempo de lembrar de que precisamos regar aquela flor logo ali, a fim de ainda transpassar beleza e perfume para quem passar por perto. Esta flor é cada um de nós.

E lembre-se sempre, o tempo é agora.

Deixo-me por aqui, emergindo o esquecido e lutando para que não se perca em mim. E isto está em esquecimento-embaçado, sempre.


7 comentários:

zeh verde disse...

evy... enquanto ouvia a musica do placebo li o seu texto... nunca pensei no tempo com essa caracteristica e faz mto sentido enxergar dessa forma... algo tao simples e q temos mta dificuldade pra entender... eu tenho mta gana pelo futuro e me preocupo mto com o q vai vir... mas me esqueço e embaço o meu tempo agora... a minha realidade... deve ser por isso q sou tao angustiado com tudo... a terapia me fez ver o pq disso tbm... brigadao... doro-t... bjoks... ;)

zeh verde de novo disse...

obs... agora pude ver pela foto... deve ser freuds ter uma vista perfeita dessas todos os dias na sua frente e depois ter q se acostumar a ver so predios e mais predios... e fora os ratos do cruzeiro... hehe... to um tempao rindo aqui... hoje eu vi um rato perto da quadra da igreja e me lembrei de tu... no bom sentido... ;)

Renato Hemesath disse...

QUE VISTA ABSURDAMENTE FANTÁSTICA!!!

Realmente inspiradora.
Similar a que pretendo ter um dia ao acordar. Percebe como o elemento ou fator "tempo" está presente o tempo todo? parece que mesmo quando queremos, por alguma razão, nos desvincular dele. Inclusive, trata-se também do recurso para avaliação do que mudou e das coisas que permanecem.

Ahh... bastante inspirador o que você escreveu, caríssima.
Não imagino que existam respostas a indagações que as pessoas fazem acerca do passar do tempo e da saudade como sonsequência do querer viver ainda um pouco mais.
Entretanto, lembrei-me das palavras da Xuxa, HAHAHA (melhor do que sair por ai citando Nietzche, é tão demodê), que diz que a saudade do que se sente somente pode ser encontrada no que se sente. Algo assim do tipo, mando-lhe o video se quiseres.

E as vezes pensamos se será possível tornar o tempo a nosso favor. É necessário ser "mestre" e não se deixar levar, como dizem.

Desejo o melhor tempo para ti.

Até depois de amanhã!!! =)

Beijos

Renato Hemesath disse...

Oi caríssima!!!

creio que seja a primeira vez que venho aqui depois de nossos idílicos encontros!

Então, aqui estou, dopado, sem dormir, a base de coca-cola e com um dia todo pela frente. Nossa, nunca me fez tão bem matar aulas. E ouvindo músicas infantis dos anos 80. hahahaha.

Ah, tu vai gostar do filme "Menos que nada", achei fabulosa a proposta de abordar a saúde mental em um contexto de internamento. Tenho alguns comentários a mais que preciso fazer, mas não pode ser aqui, pois sou uma pessoa públicas (aqueles).

E sim, continuamos a trilhar caminhos não-pensados. E a re-construir, mesmo quando as coisas tomam rumos inesperáveis. É o nosso momento, e as pessoas podem se convencer com a nossa atitude, ou não, não importa.

Super boa sorte nas aulas, e tenha certeza que logo já estará no último ano. Lembre-se de descansar e entreter a mente para que o percurso seja mais doce.

alegrias,

Beijos

Mulher Vã disse...

O aqui-agora é o que nos resta.

Renato Hemesath disse...

E são as andanças desta vida que me fazem questionar: por onde andas? talvez tu já tenhas caminhado pelos degraus em que a princesa Elisabeth atravessou ao ser proclamada. Ou pelos santuários em que John Donne ensinava, por um certo tempo. Anyway, despertou-me a vibe de adentrar nos poucos dados históricos que conheço sobre a história da Inglaterra, para onde pretendo ir num futuro não muito distante. Este desejo de partir tem sido tão real, que por pouco não te liguei esses dias "caríssima, já vou embarcar! não saia de Brasília no fds!", haha. Hoj e mesmo só vim conseguir um pouco de paz e silêncio para tomar a minha Bud e resolver coisas do blog agora há pouco, umas 3:00am. Ademais, tenha várias novidades para te contar, a incluir as desastrosas. Temos que marcar um Skype esses dias, o que acha? economizaremos créditos. hahaha

E, por fim, vou tocando tudo por aqui e indo para as aulas só conforme o necessário. Nem eu mesmo tô aguentando meu humor pelas manhãs nas aulas lindas, com gentis lindas, professores e coordenadores mais ainda, etc etc.

Prá fechar, adivinha o que estou ouvindo neste meu momento devocional? "América Geral" HAHAHA
Espero que esteja tudo ótimo por ai, caríssima!!!

Beijos e saudades ♥ ♥ ♥

zeh verde disse...

... ;-) ...