segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Dias Fatídicos...

Fotos: Me encontro em vivência de dias fatídicos, sinistros... Ora Me sinto bem, ora Me sinto mal... Se não fosse a Força que encontro no Deus Onipotente, não sei que seria de Mim e de Minha tão vasta Vida... STILL ALIVE!

OBS.: Esta é a minha 20º postagem e eu tenho 20 anos, ou seja, quem sabe estas sejam as minhas melhores exclamações Vitais deste blog... Quem sabe... Quanta viagem, meu Deus, nada a ver uma coisa com a outra, mas tudo bem. Outra, o Natal está aí e eu não estou nem um pouco animada... Sem o meu pai aqui não tem um pingo de graça... Sinto demais a falta dele...


De práxis,
uma ou algumas de minhas composições recentes, uma ou algumas de minhas composições antigas e, logo após, um ou mais escritos que admiro.


A composição abaixo foi feita a partir de observações feitas no meu cotidiano e, por pertinência, tentei entender um certo rapaz que convivi por pouco tempo, mas não pude chegar a uma conclusão óbvia por causa de minha pessoa humana, infelizmente sou "humano demais para entender", como diria uma canção do Pe. Fábio de Melo.

TRADUZINDO A VIDA
- SMITH (Eu), 12/05/2008.


Convivenciando
com a própria incapacidade
E ainda sem atitudes próprias para sanar tal situação.
Mas aprendendo do que o ser humano é capaz.
E ainda querendo um raio tempestivo para apaziguar tal situação...
Sentindo, ao próprio redor, os incontáveis tipos de seres humanos que existem.
E ainda se entusiasmando com apenas um, este...
Mas vendo que não há nada a fazer até o momento.

Cópias são cópias,
Modismo é modismo,
Olhar é apenas um olhar.
Clamo por inovação,
Que a mudança plena seja atendida.

Concretizando o que convém,
Repartindo o que traduz,
Decaindo dentro do tumulto,
Participando dos opostos.

E ainda simpatizando com os opostos...

Não, já não quero mais...
Mudei de rumo, de situação.
Vivendo pelo amanhã, não me interesso mais pelo hoje.

Assim é melhor,
Viver assim.


A outra composição abaixo é um pouco de viagem, mas uma viagem saudável, uma viagem mental por apenas aquilo que se vive.

MÓDULOS DE VIVÊNCIAS DISTINTAS -
SMITH (Eu), 29/04/2008.

Sendo concebido de coragem para todos aqueles alheios
E assim, sendo concebido por todos os incapazes
De assumirem o meio real.

A plenitude é caracterizada por aqueles encubidos do bem-comum
E assim, vive-se o que é previsto.

Somos capazes e somos incapazes,
Saciando assim as contradições Vitais
E assim vivendo pelo assim.

Sendo detonado por você mesmo,
Sendo amostra de suas próprias ameaças,
Sendo glorificado por suas sentenças
Assumidas pela realidade.

A plenitude pertence a quaisquer centros,
A plenitude concentra sua força interior,
A plenitude é captada pelo interior humano.

Somos diferenciados pela mesma condição-comum,
Somos diferenciados pelo conceito,
Somos diferenciados pela simples ação de viver.


A outra composição abaixo é para passar o tempo, mas vivendo a realidade.

MANIPULAÇÃO DA VIDA (NÃO EXISTEM LEIS) -
SMITH (Eu), 07/06/2008.

Manipulação:
Em evolução
Neste revolução.

Vida:
Em progressão
Nesta conturbação.

Não, não existem leis.
Não existem leis.
Yeah, yeah, yeah...

Não, não existem leis.
Não existem leis.
Yeah, yeah, yeah...

Pessoas:
Em grandes tumultos
Nesta melancolia.

Crianças:
Transbordadas de sofrimento,
São os tipos de pessoas que mais sofrem
Pois sofrem sem entender o motivo.

Não, não existem leis.
Não existem leis.
Yeah, yeah, yeah...

Não, não existem leis.
Não existem leis.
Yeah, yeah, yeah...

Evolução em Revolução,
Progressão em Conturbação,
Tumultos em Melancolia,
Sofrimento em Inocência...
Manipulação da Vida.

Não, não existem leis.
Não existem leis.
Yeah, yeah, yeah...

Não, não existem leis.
Não existem leis.
Yeah, yeah, yeah...

Toda a vastidão,
Toada a alvorada,
Todo o mundo.

Mas não existem leis.
Leis, leis, leis...

Todas as pessoas,
Toda a inocência,
Toda a obscenidade.

E não existem leis.
Leis, leis, leis...


A outra composição abaixo foi feita para o meu ex-namorado... Há 4 anos ele me pertence como ex e ainda por cima distante, mas, durante estes tempos, é como ele estivesse em minha realidade Vital, me atormentado a todo momento...

MEUS PERTENCES - SMITH (Eu), 10/05/2004.

Outra vez aqui com a mesma tentativa,
Com explicações cada vez mais confusas.

Me diga como posso recorrer a algum artifício
Se não se pode sair dando confiança?

Lá se vai tudo embora,
Lá se vão minhas coisas,
Lá se vai tudo meu perdido outra vez.

Coloquei uma pedra preciosa em suas mãos:
Desta vez me enganei, não acertei
Na minha escolha imperfeita,
Pois a perfeição não existe neste vasto mundo, tão torto.

Lá se vai a felicidade junto com você,
Lá se vai a minha confiança,
Lá se vão as minhas teorias banais...

Desde sempre soube que sou estranha,
Um ser bizarro.
Tenho manias curiosas e idéias dementes
E que não sirvo como exemplo a ninguém,
Pois teria muita pena de ver uma alguém
Com o meu jeito... Pobre mortal...

Pensei que você tinha me tirado daquela aquela coleira,
Onde eu era guiada por um perverso, sem noção.
E pensei que você tinha tirado o meu rancor de viver...
Mas nada disso foi junto a você,
Maldita coleira, maldito rancor.

Lá se vão meus planos,
Lá se vai tudo o que guardei até hoje,
Lá se vai com você apenas o que é bom.

Se um dia isso mudar,
Não mudarei tudo novamente,
Pois o que vai embora não retorna a ninguém.




A música abaixo tem a ver com o meu processo de conversão e no dia em que eu me converti.

Cego de Jericó - Rodox
Não sei se estou vivo ou não
Tirando a areia dos meus olhos,
Vi meus pés longe do chão
Corpo leve como algodão
Mundo morto ninguém sente
Mas eu vejo diferente

Se tudo está aqui e o meu corpo não morreu
Pura verdade, grande é a transformação
Eis que vem o peso do toque da mão de quem
Esteve lá quando eu estava só
Mais de uma vez, eu só quis ficar bem
E fiquei bem melhor
Quem criou o céu e o mar...
Ao acordar não terás o nó
Que o prende às leis
Vi a queda de reis perante um nome só
É por amor que ainda existo
Hoje renasço em Cristo, mais um cego em Jericó

Sei que me ouviste quando ajoelhei no chão
Pedi perdão e disse adeus ao homem triste
Vou me entregar a Ti, por tudo que aconteceu
E pelo que há de vir
Quando segurou a minha mão
Finalmente eu soube que era o Deus vivo quem
Esteve lá quando estava só
Mais de uma vez, eu só quis ficar bem
E fique bem melhor
Quem me ensinou a amar...

Ao acordar não terás o nó
Que o prende às leis
Vi nas trevas o rei que se achou maior
Que o poder que eu tenha visto
Grande é o nome de Cristo
E quem se humilha como Jó
É por amor que ainda existo
Hoje renasço em Cristo
Mais um cego em Jericó
Se faça como previsto
O poder do Sangue de Cristo
Vai te levantar do pó

A outra música abaixo tem a ver com a tão almejada persistência, esta que eu tanto clamo.

Metal Contra As Nuvens - Legião Urbana
Não sou escravo de ninguém
Ninguém senhor do meu domínio
Sei o que devo defender
E por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz

Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais

Eu sou metal
Raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal
Eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal
Sabe-me o sopro do dragão

Reconheço meu pesar
Quando tudo é traição
O que venho encontrar
É a virtude em outras mãos

Minha terra é a terra que é minha
E sempre será
Minha terra
Tem a lua, tem estrelas
E sempre terá

Quase acreditei na tua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa

Quase acreditei, quase acreditei
E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo

Olha o sopro do dragão (4x)

É a verdade o que assombra
O descaso que condena
A estupidez o que destrói
Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais

Tenho os sentidos já dormentes
O corpo quer, a alma entende
Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos

Eu sou metal - raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal: eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal: me sabe o sopro do dragão

Não me entrego sem lutar
Tenho ainda coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então

Tudo passa
Tudo passará (3x)

E nossa história
Não estará
Pelo avesso assim
Sem final feliz
Teremos coisas bonitas pra contar
E até lá
Vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos
O mundo começa agora, ahh!
Apenas começamos



Pisando por cima daquilo que me corroí...


Vou tentando ser feliz...


NO MAIS DE TANTO, É ISSO.

3 comentários:

César, o gusmão noel disse...

Buenas!! atualizou rapido dessa vez heinn... putis grilo verde oliva... tu escreve cada coisa... eu fico encabulado soh de ler... fico moh tristonho tbm pq eu smp me encaixo no alguem q tu se refere na compo... tenho q mudar mta coisa na minha vidinha de gaio quebrado... hehe... gostei pacass das fotos... tu tah linda como smp e como eu smp digo tu jah eh linda, nem precisa falar... pena q tu naum me quer neh... prefere ficar sofrendo pelo teu ex ainda... hehe... esquece isso... wake up!! sei q eh dificil mas tente esquecer... eh isso aeh... bju de leti cond pra tu e inteh, nobre menina!! tu eh mto nobre, pacass viu!!

Gustavo 1300 disse...

opa, tudo bem? gostei do seu blog, vc escreve bem, profissa mesmo. olha hein, aquele dia vc tava meio nas noias sim... heheheeee... e eu sei, vc vai la pro conic e diz que não tava noiada... vc tava onde mesmo la no conic? hehehehee... mto comedia vc... depois nós se esbarramos pelo cruz e eu te falo dos shows de garagem que estamos fazendo agora ou eu passo pelo seu blog e escrevo. vê se vc aparece na 1300 tbm. abrass e nós nos vemos por aé...

Fred disse...

Opale! Como estás? Profissional este seu blogger, style pra caramba! De fato aquele dia, essa historinha de conic e tals... E ainda não quis ir no show com a galera. Você tava de zuera e zuada... Hehe! Aparece nos shows e na 1300 também! Lows!